segunda-feira, 23 de outubro de 2017

PLANTIO DE ÁRVORES: SEMPRE UMA DECISÃO ECONÔMICA

Plantio de árvores com fins ambientais, sociais, etc. nem sempre pode-se atribuir economicidade. No entanto investidores, pequenos ou grandes, em maciços florestais produtivos precisam ter retorno ao capital investido, obviamente. A ausência de análise econômica antes da tomada de decisão do investimento, motivado apenas pelo impulso da "notícia" de que reflorestamento pode render um bom dinheiro, tem levado inúmeros investidores a decepções. Concorre para isto também a falta de orientação técnica adequada, uma vez implantado o povoamento. Acreditar em práticos ou empreiteiros, pode trazer prejuízos invisíveis, só detectados muito mais tarde. Quem quer investir em árvores pode acreditar que trata-se de bom negócio, porém, como todo negócio, tem suas técnicas e seus segredos. Investir sem a assessoria técnica de profissional habilitado, pode trazer aborrecimentos de longo prazo, como assim é o empreendimento. Conte conosco nesse mister.

Chico Moreira

domingo, 22 de outubro de 2017

Estimativa da produção florestal



Embora exista uma expectativa de volume a ser colhido numa determinada área, a partir do conhecimento da silvicultura da espécie, do espaçamento usual e dos desbastes realizados, dificilmente se consegue estimar com confiança os volumes de cada classe de diâmetro que serão obtidos na colheita.




A prática do inventário florestal vem então dar as respostas esperadas sendo que para tanto, parcelas são lançadas no povoamento de forma a cobrir a sua variabilidade nos aspectos das dimensões dos indivíduos e sua quantidade. Estes dados após o adequado processamento, com o uso de equações volumétricas e de afilamento, permitem conhecer os volumes dentro das classes definidas pelo mercado madeireiro e destiná-los conforme esse sortimento alcançando assim o melhor preço para o povoamento em estudo.

Em outras palavras, dá mais segurança para quem compra e para quem vende ao eliminar a subjetividade nas avaliações.